quarta-feira, setembro 05, 2007

Minto até ao dizer que minto

"Estar errado é mentir sem saber. Errei quando disse tudo e quando disse nada. Errei quando disse todos, ou ninguém, ou sempre, ou nunca. Seria tão bom se tivesse uma explicação simples para o mundo."

José Luis Peixoto

Vi o livro magrinho pousado na mesinha da sala e não resisti a pedir emprestado. Tinha a leve sensação de que já tinha lido alguma coisa dele e tinha a pesada (sensação) de não ter gostado. Achei por bem dar-lhe uma segunda oportunidade (sou a favor das segundas oportunidades com família e Amigos mas também com autores, intérpretes, bandas e por aí fora) e agora que a dei passou-me a sensação de já o ter lido.

Adorei com 4 letras!

É um dos contos inéditos que a Visão lançou aqui há uns tempos e é fudidamente delicioso! Fudido só por ser pequeno!

Leiam!

E já agora, peço-vos que me aconselhem outro livro dele. Mas atenção! Que não me faça desiludir! Terceiras oportunidades já é pedir de mais, ou não?!

3 comentários:

B.I.T.C.H. disse...

Eu tou a ler Memórias das minhas putas tristes.
Não sei se estou a gostar.

inês disse...

B.A.B.E., lê o que a b.i.t.c.h. está a ler de Gabriel Garcia Márquez, eu gostei muito.

"eu sou a que não procuras..."

B.A.B.E. disse...

já li, e tb passei o livro todo sem saber se estava a gostar ou não... e no fim percebi! não vou dizer se sim ou se não para deixar a minha amora acabar o livro livre de opiniões castradoras :)