sexta-feira, março 17, 2006

Ha amores que duram uma vida ...de sonho!



Eram 5 da tarde e estava a sair da agência.
Estafadíssima depois de uma noite de cafés, cigarros, pés em cima da secretária e ideias puxadas a ferros a saírem-me da cabeça e de mais 3 marmanjos a quem me juntaram e que de resto, eram memu excelentes!
Quase fulminei! Estava estafada, mas muito satisfeita! Pull Up The People…era o conceito!
Entrei no carro e arranquei…não tinha dúvidas que a direcção era a tua casa!
No caminho consegui finalmente abstrair-me de: cliente, ideias tresloucadas, Insights, Conceitos, reason Why´s e todo o caraças que envolve a cena pseudo-workaholic em que me estava a tornar por gostar realmente do que fazia.
Consegui rever toda a minha gaveta de pensamentos guardados, de há 7 anos atrás… Sim, tenho ideia que tinha sido precisamente há 7 anos anos, o dia anterior aos teus anos.
Tínhamos 22 e tu prestes a fazê-los.
Fui-te buscar ao Cais do Sodré, naquele meu Yaris mais batido que carro de Cross, e mais castanho que preto, de tanta ferrugem e sujidade à mistura. Ganda carro! Ahhahhaah
Quatro piscas e la estava com aquele sorriso de criança contente (que sinceramente acho que eu própria também fazia…que ridículas que éramos! Que ridículas deliciosas!) e com aquele outfit todo no sitio, e como so tu conseguias! (e consegues, tas cada vez melhor com o tempo! Por alguma razão o teu produtor insiste descaradamente em pôr-te em frente das câmaras e não atrás.) Tão diferentes que éramos e somos!!! Tu com tudo no sitio, e eu com akelas coisas histéricas rosa nos pés, as quais estava convencidíssima que eram lindas e dizia a toda a gente “são lindas, n são”…ao que as pessoas me acenavam que sim, e eu convencia.me que era sincero!
Sentaste-te em cima do Convite! Ups…
Ris-te de nervosinho, abriste, leste egostaste! Sim, adorast eu acho! E depois confessei.te k tava quase tão nervosa como tu, pq n fazia puto de ideia onde nos íamos meter!
Chegamos, entramos, bebemos martinis como manda a tradição e principalmente o desejo de final de dia, e comemos Sushi! 3 pratos comeste tu…ahahaah, lindo!
A conversa?...sim, a conversa. O medo, o desejo e a necessidade. Acho que foi mesmo disso que se falou! Tavamos ambas a acabar o curso, com mais ou menos dificuldades. Eu estava a dar em louca naquela agência das 9h-18h, e com faculdade quase até à 00h00. Tu estavas a dar em louca com as frequências que não acabavam…o que nos safava era o fim de semana…porrra, que vida tínhamos nós! (e que vida conseguimos manter!)
Na altura sonhávamos com mil coisas, príncipes desencantados, namorados fofos, e amantes quentes. Pensávamos nos coloridos do último sábado, nos coloridos do ultimo mês e dos namorados dos últimos anos. Pensávamos no Verão que estava quase (ou não) a chegar, e o sol, e a praia e o caloooooor…e o Brasil! Sonhávamos ir po Brasil assim que o ano novo começasse. Não queríamos mais fazer parte de buracos, nem esperar mais que uma corda aparecesse e nos içasse de la!

Brasil… mal sabíamos nós!

E pensávamos também naquela casa que iria ser tua um dia!

Estacionei o carro e apitei! Aquele teu jardimzinho lisboeta, lindo, tinha vista pa rua, (aliás, já o tínhamos saltado uma vez, depois de uma daquelas noites preenchidíssimas, em que pelo meio perdeste as chaves!
A tua cabeça apareceu…e eu ainda estava no carro, com "o" Cd a tocar alto suficiente pa conseguires ouvir. Desapareceste, e voltaste com uma garrafa de Vinho e gritaste:
- Agora que te fiz gostar de branco, vamos comemorar a vida!
Saí, tirei o Cd, e entrei em tua casa, por aquela portinha de madeira pintada a 4 mãos, num dia de verão intenso e jolas.
Foste buscar o saca rolhas, eu fui directa po jardimzinho e pákele sofá que em dias bons tinha lugar privilegiado cá fora!
Ainda não era verão, mas o fim de tarde estava quente.
Quando voltaste pa te abrir a garrafa, o Cd ja estava no Mode On…dadadada dididiii…, já eu tinha os meus ingredientes pa sopa, em cima da mesinha preta que estava na rua (e que tínhamos comprado por uma pechincha numa feira em Londres!...a mesa, leia-se!).
- Não acredito pipaaaaaas…
- Hã hã!!!!!!
Velhos tempos, pensámos.
- Quais velhos tempos? – dissemos ao mesmo tempo e rimos do gamanço telepático de ideias que sempre ali existiu entre as nossas cabeças.

Não eram velhos tempos, não. Eram novos!..., novíssimos!
Estavas prestes a fazer 29 anos…e a vida estava mais que maravilhosa! Tínhamos feito questão de correr atrás das coisas, de não esperar que nada acontecesse pa agarrarmos…mas sim fazer acontecer tudo. Largamos a preguiça e o medo, e fomos…e quebramos barraco! E voltamos cheias de sol na alma! E tudo mudou! Quase tudo! Tudo melhorou!
Conseguíamos estar ainda mais felizes que há 7 anos atrás, conseguiamo-nos amar ainda mais que há 7 anos atrás… conseguíamos viver ainda mais que há 7 anos atrás!
Em cada ano que passou, acho que te desejava sempre o mesmo: que fosses muito, muito feliz!
E acho que te dizia sempre o mesmo: Olha à tua volta, tens tanta gente que te adora de paixão!

Os anos passaram e estávamos ali. A beber vinho branco e a fumar ganzas. A falar dos príncipes desencantados, da curte do ultimo sábado, do colorido do ultimo mês, e dos últimos namorados. A falar das ultimas conquistas profissionais, e de como ainda n nos chegava ter chegado onde chegamos, e que…tínhamos de fazer qualquer coisa, tínhamos de correr atrás do sonho, e querer sempre mais e mais, e agarrar o nosso próximo sonho!

Há amores sinceros..que duram uma vida! Que duram desgraças e felicidades…
Há amores que partilham sonhos!

Este é o sonho que te desejo amiga. Esta é a prenda de sonho que gostava de te dar!

Parabéns amora! Txi amo. Txi tudo!
ps: desculpa, n consegui escolher uma foto! n consegui mesmo!

2 comentários:

B.A.B.E. disse...

tu és tão especial que me fazes tremer. e com estes mimos, caio na tentação de me sentir também! para ti sou, e só isso deixa-me feliz!deixas o meu coração tão quentinho...

não consigo, nunca vou conseguir responder à altura. estou a chorar tudo o que há para chorar, de felicidade e de honra, como te digo sempre, por poder assistir-te da fila da frente.

gosto tanto de os ver passar conosco de mãos dadas.

gosto tanto de ti!


vamos respirar fundo, endireitar as costas... vamos ver o que os próximos 7 têm para nós e vamos pedir mais, como fazemos sempre. que mimadas insatisfeitas que somos!

vou fumar um cigarro na varanda com um sorriso enorme, por tua causa. e deixar-me cair nesse sonho que é a perfeição em estado puro!

*obrigada. muito obrigada!!

CPiteira disse...

isto foi lindo