terça-feira, dezembro 12, 2006

Amor que acontece


Já vivi contos de fadas, acreditei neles, fui a princesa e no final …não fui feliz para sempre.

Já namorei o gajo mais giro da escola, já fui a miúda mais odiada, já quis fugir de casa por amor, e já fiz até juras de sangue para a vida inteira.
Já escrevi cartas, e-mails e sms´s, já me apaixonei muitas vezes por meios menos ortodoxos.

Já fui muito feliz, e já fui muito infeliz.
Já comi e me arrependi, já beijei gente que nem beijar sabia, já seduzi só porque sim, e já estive com pessoas porque simplesmente não podia estar com outras…
Já chorei muito, já perdoei quem não merecia, já fiz sofrer quem não queria e já me mentalizei que os contos de fadas não existem.
E ultimamente é isso mesmo que tenho feito.


Meti na cabeça que não quero ninguém. E não quero!

Aliás…não quero mesmo os ninguéns que tenho conhecido por aí. Quero sim “o alguém” que anda no meio de todos os outros mas que finjo não ver nem precisar, apenas por ainda não o conhecer.
Portanto o que ando a tentar evitar e a desdenhar é essa espécie de “amor que acontece”.
Esse que aparece por acaso através dos olhos de alguém que nos fica a observar de longe enquanto nos sentamos num livraria a ler e a fumar um cigarro, e que acompanham cada movimento nosso em completo êxtase, …como acontece nos filmes.
E não tem de ser necessariamente uma só pessoa, não! Aliás, já me apaixonei perdidamente por várias, e ainda que de formas muito diferentes, não foi por eu saber que não eram a minha cara metade que gostei menos delas e que fui menos apaixonada e feliz.
A fase das utopias e de almas gémeas já era!

Agora vou tendo saudades de algumas certezas e seguranças. E tenho saudades de homens mais corajosos e decididos e apaixonados e crentes.
Ando cansada do estado actual da sedução. Farta, fartíssima.
Conhecemo-nos, tomamos um café algures (que já nem tento que seja num sitio especial) e se houver clima beijamo-nos nesse mesmo dia para no dia a seguir, ou passadas umas semanas, ou uns meses (na mais feliz das hipóteses) não nos vermos nunca mais, por se ter esvaído a tesão, e se terem queimado os cartuxos de curiosidade que ainda era o pouco que nos unia.


E é assim que as coisas têm sido. Assim desde há muito tempo. Tanto que já perdi a conta e a vontade até.

Só há tesão…não há paixão. E é disso que tenho saudades.
Não quero encontrar alguém ao virar da esquina e perceber que é o homem da minha vida. Não quero um homem para casar ou para ter filhos ou até apenas para apresentar aos meus pais. Não!
Quero simplesmente voltar a beijar com gosto, com arrepios de frio, tremuras de calor, e borboletas no estômago. O tempo que dura pouco me importa. Pode ser que dure uma hora com um rapaz com quem choquei enquanto andava despistada pela rua, ou uns meses com uma pessoas que me adora realmente e com quem tenho conversas com conteúdo. O que importa realmente é a intensidade que deposito e que depositam em mim.

Estou cansada de ver a sedução como um jogo em que alguém tem de ganhar. Em que me sinto na obrigação de ficar por cima, porque caso contrário, sairei a perder.
Cansada de ter de andar todos os dias com o peso das minhas armas, e com o receio característico de quem tem algo a perder, e com a tristeza de quem não aproveita o momento por já saber onde e quando vai terminar.

Acho que estou cansada do rumo que tenho dado às coisas, e que as pessoas me têm dado a mim…



14 comentários:

9MM disse...

Claro como água.
Mas não será isso mesmo que a maioria de nós procura?

iksvodaled disse...

se calhar pensas demasiado nisso..

como "diz" o fat boy slim: "just go with the flow"

Jay disse...

Porque é que as pessoas dao tanta importancia a este assunto?

Culpa e' da atitude da maioria das pessoas, que gostam dos outros da forma mais egoista que pode.

Tens razão quando dizes que a seducao é um jogo... E é estupido pensar que é um jogo se sao duas pessoas que têm que ganhar e não só uma.

Eu tb ja n consigo seduzir nesse estilo classico do "beber cafe", etc, pq nem me ia sentir interessante para com a outra pessoa. O ideal é deixar as coisas fluirem, tomar decisoes inesperadas a dois e acima de tudo sorrir muito. Sorrir ao proximo, como gostamos que sorriam para nos.

É tudo uma questão de mercado... e o mercado em portugal tá muito mau!

Caga nisso...limpa a tua mente desses tempos mais estupidos que ja tiveste e tenta viver os proximos com mais calma, n forces e se queres feliz n sigas impulsos que nao sao suficientemente fortes para fazeres coisas que ded outra forma te poderas arrepender.

Desculpa a invasao e o sermao, mas achei muita piada ao teu texto.

Jay

Scratchy disse...

faz tudo ao contrário...
faz as regras do jogo mudar...
faz aquilo q te apetecer...
faz isto fazer sentido... :P

não pensar muito é o melhor, faz aquilo que te der na "real gana" fazer. se essa obsessão terminar acabas por ter borboletas na barriga muito mais vezes. dizem que os homens pensam demais com a cabeça de baixo.. pois vocês mulheres também o fazem com a de cima... eu acho que chegar ao meio termo torna as coisas "perfeitas". e tu só tens de te sentir bem como estás, coisa que não acontece.. certo?

e lembras-te quando "te disse" que
ir ao extremo da questão n é a solução? como por exemplo o teu celibato? :P aqui está a resposta que comprova a minha teoria...
mais dia menos dia tudo o que era força deixa sequer de ser certeza...
"E é assim que as coisas têm sido. Assim desde há muito tempo. Tanto que já perdi a conta e a vontade até."
certo? :P

PS - "Quero simplesmente voltar a beijar com gosto, com arrepios de frio, tremuras de calor, e borboletas no estômago." - a q horas e onde? :P

B.I.T.C.H. disse...

9mm: isso mesmo o quê?( a que parte de referias é o que quero dizer é que dá-me a sensação que nos dias que correm, queremos todos coisas muito diferente e é aí que está o problema. Haver poucas pessoas que se encontrem no mesmo registo)).

iks: Sim, penso demais.

Jay: Não tens de pedir desculpa por nada. Inda hoje disse a alguém que o nosso cantinho só não tem espaço para espertinhos mal educados e mente fechada. De resto entrem à vontade porque a porta está sempre aberta e gostamos de receber gente ;)
E dou importancia a este assunto porque o tenho experiênciado, e faz parte de mim, e tenho-me apercebido de algumas mutações, valores e objectivos...

Scratchy: pois, mas tentava referir-me precisamente ao "fazer por fazer" e sem pensar muito. No final acaba por perder a piada...
Quanto ao celibato, acho que não vou comentar mais. ;)
ps: se eu achasse que era so uma questão de vontades... Mas não. A questão agora prende-se com encaixes e químicas, que não existem so porque se quer...

disse...

tá bem que possas ter bagagem emocional, mas isso do celibato pra mim é tanga. independentemente das tuas preferencias és humana.
DON'T FIGHT IT

disse...

BECAUSE YOU WON'T WIN

ShooGirl disse...

Pipex...
1º concordo com o zé...
b) por amor à santa...
4. o que se está a passar com o layout do bicho, que vejo tudo torto e com fotos fora do limite?

B.I.T.C.H. disse...

Epahhhhh, andamos em remodelações :s

ZÉ: sim vou ganhar! pffff. por quem me tomam?

byRRR disse...

Que saudades que eu tinha de te ler! Continua a ser um prazer enorme. Que tens feito? Tudo corre bem, espero.
Tenho de cá voltar com tempo.
Beijo

9MM disse...

b.i.t.c.h. :

Referia-me a este paragrafo:

"Quero simplesmente voltar a beijar com gosto, com arrepios de frio, tremuras de calor, e borboletas no estômago. O tempo que dura pouco me importa. Pode ser que dure uma hora com um rapaz com quem choquei enquanto andava despistada pela rua, ou uns meses com uma pessoas que me adora realmente e com quem tenho conversas com conteúdo. O que importa realmente é a intensidade que deposito e que depositam em mim."

B.I.T.C.H. disse...

Ahhhhh! Esclarecida agora!...sim isso é um quere com vontade, que muitos de nós queremos suponho. Mas como as coisas andam....acho que ha muita gente por aí que nem isso quer, sabes?...

code disse...

- Porque vais à montanha buscar água se a tens em casa?
- Porque aquela... é da montanha.

No final das coisas, só as outras ficarão.

B.I.T.C.H. disse...

Hey Code!
Sê bem-vindo.