terça-feira, maio 01, 2007

Ao tempo perdido



Onde você foi parar? Como que você some assim, de repente, sem avisar? Por onde você escapou, que eu não vi? Contava com a sua presença para fazer algumas coisas, que adoro, mas para as quais não me sobra mais nem um minuto.
Dizem que o tempo perdido não volta jamais, no entanto custo a acreditar que você seria capaz de me largar dessa maneira depois de tudo o que vivemos. Será verdade que o tempo é cruel? Terão sido em vão os lindos momentos que desperdiçamos juntos? As horas e horas pensando besteiras, com minhas intermináveis elucubrações?
É, quando se é jovem, o tempo que se perde não faz tanta falta. Você passava e eu nem ligava. Agora, corro atrás de cada instante que, um dia, joguei fora sem dar a devida atenção.
Querido tempo, queria muito que você voltasse. Poderíamos ir a um cinema, jantar fora, passear à toa pelas calçadas. Com o tempo ao seu lado, a vida definitivamente fica mais fácil.
Sei que você não pára, também está sempre na correria, como eu, contudo não perco a esperança de ainda ter você inteiro, só para mim. Vejo, no espelho, as marcas de você me deixou, e muitas outras delas quero ter antes de a morte chegar.
O que posso prometer para que você retorne, que vou aproveitar você melhor? Que vou dar mais valor às suas sábias lições? Que não te perderei mais por babagens?
Ajoelho-me diante de você, inestimável tempo, e juro: nunca mais vou vacilar contigo, pois sei que todos te querem e desejam. As mulheres mais lindas e os homens mais ricos perseguem você por todos os lugares, oferecendo de tudo para ter mais um pouco de sua companhia.
Tudo gira em torno de você, tempo, eu sei. Poetas te cantam, génios te estudam, líderes te seguem. E eu continuaria dias e dias tecendo as mais belas considerações a teu respeito mas temo que estaria perdendo ainda mais você fazendo isso.
Devo, entretanto, avisar que não pretendo te esquecer nem deixar você em paz. Pode correr, pode fugir, que vou em busca de você onde estiver. Cancelarei compromissos, emendarei feriados, mas tenho certeza de que te encontrarei de novo nem que seja por um só segundo.
Quem sabe, então, quando estivermos frente a frente, verei que você não se foi em vão, que foi porque tinha mesmo de ir, passando em silêncio como o tempo deve passar.
E que, na sua falta, não o terei perdido, porem, eternizado.
Saudades,

Fernanda Young


made in brasil
porque me fez pensar muito (mais) em ti

6 comentários:

code disse...

gostei.

abraço

B.I.T.C.H. disse...

Não merece um comment, merece um post.

Gosto de ti amora. e tens tantas histórias para me contar que nem sei se quero ouvir. Doi não ter ido. Mas sabe bem saber que foste =)

Gosto de ti!

Francis disse...

que raio...tanta saudade...para a proxima não vais...a miuda ainda lhe dá uma coisa.

Professor Howdy disse...

Hello!
Very good posting.
Thank you - Have a good day!!!

vanessa disse...

...e cheira-me...que tenho andando a ocupar o meu tempo, a pensar em quem não devo...a sonhar o que não devo...a querer quem não me quer...

... e o tempo não espera por mim...dá-me cada dia uma lição... na maior parte das vezes uma lição que eu não queria aprender...

o tempo rege, mm aqueles que não se acham livres!

vanessa disse...

*mm aqueles que se acham livres...