quarta-feira, janeiro 31, 2007

Querer chorar muito como se tivesse razões para isso.
Deixar que as lágrimas me caiam sem delas conseguir ouvir ritmo algum.
Gritar uma dor muda e acreditar que as almofadas onde me enrosco são o pescoço de um alguém que tarda.
Sentir o calor do dia que foge a ocupar em mim o espaço de algo que não existe.
Calar o silêncio com a ânsia de escutar o ruído ininterrupto que possuem todos os corpos com vida.
Aproximar-me do espelho e tentar reconhecer os olhos de quem vejo.
Perder-me neles para não voltar nunca mais.
Deixar secar as lágrimas e morrer na angústia de não chorar.

Tem meses em que questões hormonais me transcendem.

3 comentários:

Francis disse...

chora rapariga, grita...

Headache disse...

férias com o telemóvel desligado

resolvem muita chatice

MiSs Detective disse...

há dias em que só nos apetece sair de nós! e divagar...