sexta-feira, outubro 12, 2007

É ao homem que compete começar (?)

O pudor inibe a mulher de provocar certas carícias, mas sente prazer em recebê-las quando outro as começa. Sim, um homem tem em demasiada conta as suas qualidades físicas, se espera que seja a mulher a primeira a rogar. É ao homem que compete começar, é ao homem que compete pronunciar as palavras suplicantes; a ela acolher favoravelmente as suas brandas preces. Queres possuí-la? pede. Ela deseja tanto como tu ser rogada. Explica-lhe a causa e a origem do teu amor. Júpiter dirigia-se suplicante às antigas heroínas; apesar do seu poder, nenhuma o vinha provocar.
Mas se as tuas preces se quebram na distância dum orgulho desdenhoso, abandona o que começaste e recua. Como elas desejam o que lhes escapa, e detestam o que está ao seu alcance! Sendo menos insistente, não mais serás repelido.
E a esperança de alcançares os teus fins nem sempre deve aparecer nos teus pedidos; que o amor penetre sob o nome da amizade. Vi mulheres esquivas serem enganadas desta maneira: o que fora seu cortesão, tornara-se seu amante.


Ovídio, A Arte de Amar

8 comentários:

code disse...

não acho que tenha de ser forçosamente o homem.

acho que deve ser "forçosamente natural", qualquer que seja o primeiro "interveniente".

Abraço,
André.

Paul Newman disse...

O Ovidio era tolo....isso dos homens passarem de amigos a amantes e uma parvoice alem de uma total dissimulacao....um tipo q se preste a uma falsa amizade com outras intencoes nao e homem...e um rato!
Quanto ao comecar...cada caso e um caso...cada casal tem a sua quimica e a sua impulsividade...logo acho q nao se deve generalizar...no entanto...na maior parte dos casos deve ser o macho a iniciar os rituais...ou entao calhou lhe uma daquelas femeas muito resolutas e determinadas...se for esse o caso...ou o macho vira a situacao de pernas para o ar..:)...ou aguenta...:)

Mak, o Mau disse...

Com essa conversa pseudo sentimental analista muito determinista mas com pinta de artista, esse Ovidio devia era ser gajo para agasalhar o croquete. Coisa essa que, no tempo dos antigos (e tambem agora dos modernos), era tao natural como a sua sede...

bruno disse...

:o

B.A.B.E. disse...

ahahha! adorei mak!

:p

inês disse...

pois eu conheço um que se não forem elas.....

Francis disse...

finalmente uma boa musica...gosto tanto da erika.

Abssinto disse...

Tenho para mim que o Ovídio nunca conheceu uma mulher.