segunda-feira, julho 02, 2007

Nice to you? Cannes to me!

Depois da ressaca física e emocional e da depressão pós férias estar finalmente a desvanecer-se, deixo aqui tudo com que se fica de Cannes. Apenas para que conste, talvêz.

Os franceses de classe média (a.k.a. os que vão ao supermercado e circulam pelas ruas que não a Croisette, e que andam em aviões de voos domésticos como aqui a pobre) cheiram MUITO mal. O mercado dos desodorizantes é uma óptima oportunidade de negócio! Pormenor: eles adoram andar com as belas da baguetes debaixo do braço...Portanto, não aceitem pão daquela gente!

Cuidado ao atravessar passadeiras. Eles não entendem a sua simbologia e quando dás por ti tas com um Lamborghini em cima. E em cima dele um tio saradão com a sua gata toda model ao lado, e em cima dela um extraordinário conjunto Dolce&Gabbana da última colecção.

Pumps Vertiginosos, sandálias de plataforma à Brigitte Bardot e padrões de riscas e bolinhas, estão completamente ON. Mas mais On que isso é conseguires arranjar um ricaço que te banque os luxos.

As putas, meninas de programa e outras que tais são muiiiito gostosas.

Aliás, lá até os transexuais são interessantes!

Se não tiveres um Ferrari, Corvette, Laborghini, Aston Martin, Porsche, ou um motorista particular com uma Limo branco I-pod, tens no mínimo que ter dinheiro para alugares qualquer um destes espécimes.

Em contraste podes sempre ter um Opel kadet, kitado, rebaixado, iluminado e sonorizado. Mas garanto que não vais muito longe.

Cuidado por onde andas. Se tropeçares no objecto errado, arriscas-te a pagar uma indemnização de milhares por teres acertado num qualquer caniche irritante de uma dama. É que madame que se preze, faz-se obrigatoriamente acompanhar por um lulu de raquíticas dimensões.

Vê-los a comer croissants na esplanada do Carlton não é nada do outro mundo, comparado com outros que vi a serem passeados em carrinhos de bebé.

Há duas discotecas naquela terra.

A 1ª onde entrei e que dá pelo nome de “Caliente”, mais parece uma amostra da RS na Costa da Caparica. A clientela é composta por cabeleireiras de madeixas mal feitas, roupas péssimas, e lavadoras de escadas com de cabelo de esfregona, e rapazinhos que mais parecem emigrantes do interior, com fios de oiro ao peito e Mercedes banheira kitados, à porta. Ali pagas 32 euros por 2 vodkas tónicas de origem duvidosa e uma cerveja pouco fresca.

A 2ª era uma tal de Baôli. Depois de fazermos toda a Croisette a pé - porque os taxistas parecem não querer trabalhar - e chegados a Palm Beach, demos de caras com a “tal discoteca boa” – conselho dado por uma garçonete algures de um Hotel de renome.

Quando questionados se podíamos entrar, responderam: Normalment non, mais... e entrámos, não sei bem como. Mas ainda sei menos como saímos.

Acabava de pôr o pé num autêntico making of de um clip Norte Americano, digno de qlq 50 cents ou Beyonces da vida. Pimps com ar de quem pode, bifas gostosas, garrafas de Don Perignon e Absolut de tamanhos que até ali me transcendiam, e modelos de micro saias, com pumps vertijinosos nos pés a dançarem em cima de sofás de pele.

Pagámos (pagaram-me aliás) 52 euros pelas mesma bebidas “calientes”. E ainda cravei outra vodka a um tal Pitangui que já não conseguia pedir bebidas ao barman por ser demasiado tarde...

De noite, o 72 é o sitio mais IN de toda a Croisette. Bebes cervejas quentes a 7 euros e fazes xixi no Hotel Martinez, depois de esperares 20m na fila a ouvir galináceas de várias línguas e feitios a pronunciarem o que ainda conseguem àquela hora da noite ou da manhã e mediante o grau de substâncias que ingeriram.

Com muiiita, muiiiiita sorte encontras coisas porreiras no chão.

Com pouca sorte és pisada por stilettos de gente que parece que nasceu com aquilo nos pés, e que mesmo sem eles, para lhe veres a cara, tens de olhar 3 palmos acima.

De dia, não podes deixar de passar no Palais (até porque se és estudante pagaste 600 euros pela inscrição, e se és delegate, a agência pagou 2000); Tentar assistir a pelo menos uma conferência (sem adormecer) e pedir resumos das restantes; Ver short lists saídas nesse dia, e ainda premiados que não tiveste oportunidade de ver na noite anterior.

Esperar na fila e ir à net, ou pegares no teu leptop, sentares-te algures e aproveitares a rede wireless.

Depois, e se ainda houver tempo: praia! Que, diga-se de passagem, são todas uma merda.

Primeiro são minúsculas.

Segundo: a areia é suja de levantar pó quando se anda.

Terceiro: lá não há gaivotas na areia, há pombos e rolas. Porque gaivota que é de Cannes ou esvoaça no ar, ou passeia-se pela avenida.

Quarto: são quase todas privadas, which means: pagares no mínimo 15 euros para estares na fila de cadeiras mais reles, ou 20 na fila da frente e 30 no pontão.

Quinto: a única minimamente interessante (muito, vaaaa) era a da JCDecaux. E porquê, perguntam vcs? Porque depois de termos de levar com a apresentação de uns Mupis inovadores que eles tinham em exposição (que de resto eram bem interessantes) podíamos tão somente esparramarmo-nos nas cadeiras, beber champagne sem limites, e comer menus groumet De li ci o sooooooos!

Foi o primeiro sitio do mundo onde vi verdadeiras Hot Mummies! Lindas, maravilhosas, em saltos, bem vestidas à brava, com óculos de grif e malões dourados fantásticos, a empurrarem carrinhos de bebés com coisinhas de meses lá dentro, ou de mão dadas com criancinhas loirinhas e lindas e igualmente bem vestidas.

Das duas uma: ou aquilo foi tudo criado em barriga de aluguer, ou são todas adoptadas!

Ou então aquelas não eram as respectivas mães, mas as respectivas amas e amantes...

Crocs! Por incrível que pareça, estas sandálias (que para os mais atentos, já não são de todo, novidade deste ano) estão oficialmente na moda e o mundo interio está finalmente a aderir! Desde os miúdos com 3 anos, aos publicitários chineses de 45, andam nos pés de toda a gente!




A leitura deste post não dispensa uma exaustiva pesquisa de campo.
Estamos lá para o ano?



Na imagem, eu e a C. com aquelas que são o ícone mais ícone de Cannes, as Tigresas.
Quando voltar a ter photoshop e conseguir reunir todas as fotos, prometo mostrar algumas.

7 comentários:

Headache disse...

Já fazia falta ler um destes posts outra vez

Bem-vida de volta

B.A.B.E. disse...

aaaaaaaaah so good to have u back!
txi tudo

Morsa disse...

Bem vinda de volta! Tou a ver que foi uma viagem agridoce. Relembra o doce e aprende com o agri. Como tudo na vida!

Beijinhos

Isabel Paixão disse...

Fantástico relato. Feel like I've been there without leaving my chair. Bem-vinda a casa =)

B.I.T.C.H. disse...

É tão bom ser acolhida assim! Brigada a todos!

Agri? Nada. Aliás, a primeira coisa que digo quando me perguntam de Cannes é: Senti-me uma miuda numa loja de doces!


Beijosssssssss

Francis disse...

cannes at is best.

wellcome back. now go to work.

Morsa disse...

Pensei que os preços, as franciúcas com o pão debaixo do braço e as más discotecas te tivessem desagradado mais. Ainda bem que assim não foi.

Mas eu conheço a sensação. Senti-a em Nyhavn. Conheces?

Um beijo